Ethereum: o que é? como funciona? vale a pena investir?

Você conhece o Ethereum? Saiba o que é Ethereum e como funciona essa tecnologia na prática, aprenda a investir e armazenar com segurança.

O mundo das criptomoedas e da tecnologia blockchain é vasto e diversificado, e no centro desse ecossistema está o Ethereum, sendo a segunda moeda digital mais valiosa do mercado, após o bitcoin.

Neste artigo, exploraremos o que é o Ethereum, como ele funciona, suas aplicações e seu papel no cenário financeiro moderno.

O que é Ethereum?

O Ethereum é uma plataforma global descentralizada, alimentada pela tecnologia blockchain. Comumente conhecido por sua criptomoeda nativa, o éter (ETH). Mas o Ethereum é muito mais do que apenas uma moeda digital.

O Ethereum é uma plataforma que permite a criação de diversas tecnologias digitais seguras. Além de funcionar como uma forma de pagamento, o ether também é usado para compensar o trabalho realizado na manutenção da blockchain. Além disso, o Ethereum permite a criação de contratos inteligentes, essenciais para aplicativos descentralizados, como os utilizados na finança descentralizada (DeFi) e em muitas outras aplicações.

Um fundo preto com linhas vermelhas e brancas - O que é Ethereum?

O éter (ETH) foi criado em 2013 pelo programador canadense Vitalik Buterin e no dia 30 de julho de 2015, ela entrou online com 11.9 milhões de Ethers pré-mineradas da Oferta inicial de moedas (ICO). Desde então, a plataforma tem conquistado uma adoção crescente entre pesquisadores, empreendedores e desenvolvedores que almejam construir aplicações concretas fazendo uso da tecnologia blockchain e do ecossistema do Ethereum.

Como funciona o Ethereum?

O Ethereum foi concebido por Vitalik Buterin, e seu funcionamento é regido por um white paper publicado em 2014. Desde o seu lançamento em 2015, o Ethereum evoluiu para se tornar a segunda maior criptomoeda do mundo, depois do Bitcoin.

A tecnologia subjacente ao Ethereum é a blockchain, uma cadeia de blocos de informação conectados entre si. Cada bloco contém dados e informações sobre transações. A rede Ethereum é validada por uma série de mineradores que validam as informações presentes nos blocos. Isso torna a rede extremamente segura e confiável.

Quem criou o Ethereum?

Vitalik Buterin, programador russo-canadense, criou o Ethereum em 2013, aos 19 anos. Seu white paper propôs ampliar a tecnologia do Bitcoin para descentralizar vários setores. O Ethereum revolucionou as criptomoedas ao permitir contratos inteligentes e aplicativos descentralizados, solidificando sua posição como uma das principais criptos e influenciando as finanças descentralizadas e a tecnologia blockchain.

Estrutura triangular amarela e preta sob céu nublado durante o pôr do sol - O que é Ethereum?

Ethereum é seguro?

O Ethereum é considerado seguro devido à sua descentralização, envolvendo milhares de computadores que evitam pontos únicos de falha. Utiliza a blockchain e criptografia para registrar transações imutáveis e públicas. Contudo, já teve problemas; em 2016, um hacker invadiu o contrato inteligente do “The DAO”, resultando no roubo de 3,6 milhões de ether, o equivalente a cerca de US$ 50 milhões. Isso levou a um “hard fork” proposto pelo fundador Vitalik Buterin, dividindo a rede em Ethereum e Ethereum Classic.

Embora tenha havido discordâncias na comunidade, o Ethereum continuou como a versão principal, demonstrando as complexidades e desafios da segurança em ambientes blockchain descentralizados.

Como funciona a Blockchain do Ethereum?

A blockchain do Ethereum é uma estrutura de dados distribuída que contém um registro de todas as transações e atividades na rede. Ela é validada por nós, também conhecidos como mineradores, que resolvem problemas complexos de criptografia para adicionar novos blocos à cadeia.

No entanto, em setembro de 2022, o Ethereum migrou de um algoritmo de consenso de prova de trabalho (Proof of Work ou PoW) para prova de participação (Proof-of-Stake ou PoS), que é mais eficiente e sustentável em termos energéticos.

Bitcoin vs Ethereum

Embora o Ethereum e o Bitcoin compartilhem algumas semelhanças, como serem baseados em blockchain e terem criptomoedas associadas, suas propostas são diferentes. Enquanto o Bitcoin foi criado como uma moeda digital pura, o Ethereum foi projetado como uma plataforma para aplicativos descentralizados e contratos inteligentes.

Um fundo preto com linhas vermelhas e brancas - O que é Ethereum?

Como comprar Ethereum?

Há duas maneiras de adquirir suas primeiras frações de Ethereum, uma é comprar via P2P como um amigo ou pessoa próxima. Ou realizar a compra por meio de uma corretora de criptomoedas, as conhecidas exchanges.

A primeira opção é mais rápida, sendo necessário apenas uma carteira de Ethereum. Já a segunda opção conta com algumas burocracias que já conhecemos, bem como a criação de conta com e-mail, senha e verificação de identidade.

Optar por comprar Ethereum em uma corretora é sem dúvidas mais seguro, pois é garantido que você receberá seus Ethers. Já a opção P2P só deve ser adotada com alguém de extrema confiança.

Se você deseja comprar Ethereum e não sabe por onde começar, um curso pode encurtar esse caminho. Em nosso curso você terá acesso a mais de 100 aulas práticas e objetivas, invista com segurança e alcance seus primeiros resultados.

Quais as melhores carteiras para Ethereum?

Existem vários tipos de carteiras para Ethereum, cada uma com suas vantagens e desvantagens. A escolha da melhor carteira depende dos seus objetivos, preferências e necessidades. De forma geral, as carteiras podem ser classificadas em quatro categorias:

  • Carteiras de hardware: São dispositivos físicos que armazenam as chaves privadas do Ethereum de forma segura e offline. Elas oferecem o maior nível de proteção contra ataques cibernéticos, mas também exigem um custo inicial e podem ser inconvenientes para transações frequentes. Alguns exemplos de carteiras de hardware são Ledger Nano SLedger Nano X e Trezor One.
  • Carteiras de software: São aplicativos que podem ser instalados em computadores, celulares ou navegadores. Elas permitem um acesso fácil e rápido ao Ethereum, mas também dependem da segurança do dispositivo e da conexão à internet. Alguns exemplos de carteiras de software são MetaMask, Mist, Exodus e Edge.
  • Carteiras de papel: São folhas impressas que contêm as chaves públicas e privadas de Ethereum em forma de código QR ou texto. Elas são baratas e imunes a ataques cibernéticos, mas também são frágeis, fáceis de perder e requerem um scanner para realizar transações. Um exemplo de carteira de papel é My Ether Wallet.
  • Carteiras web: São plataformas online que armazenam as chaves privadas da criptomoeda em servidores remotos. Elas são convenientes e fáceis de usar, mas também envolvem um risco maior de roubo, perda ou censura.
Logotipo da estrela em preto e branco - O que é Ethereum?

Quais as vantagens do do Ethereum?

O Ethereum oferece uma série de benefícios. Alguns deles são:

  • Velocidade e eficiência: O Ethereum é mais rápido e eficaz do que o Bitcoin, ao usar um algoritmo de consenso diferente que permite processar mais transações por segundo.
  • Programabilidade: O Ethereum é programável e os desenvolvedores podem usar sua linguagem de programação chamada Solidity para criar contratos inteligentes e aplicativos descentralizados (dApps) com diferentes funcionalidades e regras.
  • Autonomia: O Ethereum elimina a necessidade de intermediários confiáveis, ao permitir que os usuários façam transações diretamente uns com os outros, usando o ether como meio de pagamento. Isso reduz os custos e os riscos de fraude ou censura.
  • Inovação: O Ethereum é a base de um novo tipo de internet, onde os usuários podem acessar serviços financeiros, jogos, mercados, redes sociais e muito mais, sem depender de empresas ou governos centralizados.

Quais as desvantagens do Ethereum?

  • Alta taxa de transação: O aumento do uso, com criação dos tokens e com a movimentação da própria moeda, fez com que o valor da transação subisse a patamares inviáveis para muitas operações.
  • Centralização: O PoS dá mais poder a quem tem mais tokens ETH. Como há muita concentração de Ethereum na mão de poucas carteiras, o argumento é de que a rede tenderia a ficar mais centralizada.
  • Volatilidade: A volatilidade nas criptomoedas evidencia suas flutuações rápidas de preço, exigindo cautela e estratégia para investidores. Esses ativos são de alto risco, com valores instáveis e potencial de perda. Investir requer pesquisa e comprometimento financeiro consciente.

Como funciona a mineração do Ethereum?

A mineração do Ethereum é o processo de validar transações e adicionar blocos à blockchain através de computadores poderosos que resolvem problemas criptográficos complexos. Anteriormente baseada em prova de trabalho (Proof of Work ou PoW), a rede migrou para prova de participação (proof-of-stake ou PoS), onde os mineradores são substituídos por validadores que mantêm a rede.

Isso reduz o consumo de energia e melhora a eficiência do sistema, tornando a mineração mais acessível para os participantes que possuem e bloqueiam uma certa quantidade de ether como garantia.

Um close up de um objeto de metal em uma placa-mãe - O que é Ethereum?

Vale a pena investir em Ethereum?

Investir em Ethereum, como em qualquer ativo, requer pesquisa e avaliação dos riscos envolvidos. O mercado de criptomoedas é conhecido por sua volatilidade, mas as inovações trazidas pelo Ethereum podem torná-lo uma parte relevante do cenário financeiro futuro. No entanto, o Ethereum também enfrenta alguns desafios, como escalabilidade, custos de transação e concorrência.

Investir em Ethereum pode ser uma opção interessante para quem busca diversificar seus investimentos e se beneficiar do potencial de crescimento do setor de finanças descentralizadas (DeFi) e de tokens não fungíveis (NFTs), que são baseados na rede Ethereum. No entanto, investir em Ethereum também envolve riscos, como volatilidade, incerteza regulatória e ataques cibernéticos.

Portanto, antes de investir em Ethereum, é importante fazer uma pesquisa aprofundada sobre a plataforma, o mercado e os fatores que influenciam o preço do ether (ETH), que é a moeda nativa da rede Ethereum. Além disso, é recomendável investir apenas uma parte do seu capital.

Perguntas Frequentes

O que é gás?

O gás (gas – em inglês) refere-se à taxa cobrada por transações e contratos inteligentes na rede. Ele também representa a unidade de medida para o esforço computacional necessário para várias operações. O valor do gás não é fixo e varia conforme a complexidade da ação realizada.

Essa taxa é paga em ether, a criptomoeda do Ethereum. A plataforma permite uma estimativa prévia da taxa de gás para transações. Transações simples custam menos em comparação com operações complexas, como as relacionadas à finança descentralizada (DeFi). Geralmente, as taxas de gás são influenciadas pela oferta e demanda da rede Ethereum.

Ethereum é uma criptomoeda?

O Ethereum é mais do que uma criptomoeda; é uma plataforma de tecnologia blockchain. No entanto, ele tem sua criptomoeda nativa chamada ether (ETH), que é usada para várias finalidades na rede.

Diversas moedas de ethereum - O que é Ethereum?

O Ethereum pode ser convertido em dinheiro?

Sim, é possível converter Ethereum em dinheiro. Plataformas de câmbio de criptomoedas (exchanges), como Binance, Mercado Bitcoin, Foxbit permitem a venda de ETH em troca de moeda fiduciária, que pode ser posteriormente transferida para uma conta bancária.

O que são DAOs?

As Organizações Autônomas Descentralizadas (DAOs) estão sendo desenvolvidas no Ethereum. Elas representam um novo modelo de tomada de decisão e gestão descentralizada, onde as operações são automatizadas e transparentes.

Hard fork Ethereum Classic (ETC)

Um marco importante na história do Ethereum foi o hard fork que resultou na criação do Ethereum Classic (ETC). Isso ocorreu após um ataque bem-sucedido a um projeto chamado The DAO, que levou a uma divisão na comunidade Ethereum sobre como lidar com o incidente.

A maioria optou por reverter o ataque, mas uma minoria decidiu manter a blockchain original, o que deu origem ao Ethereum Classic.

Tokens não fungíveis (NFTs)

Os tokens não fungíveis (NFTs) ganharam destaque, permitindo a representação única e indivisível de ativos digitais na blockchain do Ethereum. Isso tem impulsionado a criação e comercialização de arte digital, colecionáveis e muito mais.

Conclusão

O Ethereum é uma força motriz no mundo da tecnologia blockchain e das criptomoedas. Sua plataforma versátil permite a criação de uma infinidade de aplicações, desde contratos inteligentes até jogos e muito mais. Enquanto a indústria continua a evoluir, o Ethereum desempenhará um papel fundamental no futuro da tecnologia e das finanças. Entender seu funcionamento e potencial é crucial para aproveitar ao máximo as oportunidades que ele oferece.

Se você gostou desse post, continue acompanhando o Cadê a Bufunfa e compartilhe essa dica com aquele seu amigo (a) que ainda não sabe o que é ethereum.

Botão Voltar ao topo